sexta-feira, 26 de outubro de 2012

A cura contra a doença do sabichão - informação

Como alguém pode discutir a importância de uma obra como a "Mona Lisa"? E o mais maluco: essa pessoa tem no seu blog a imagem da obra, a própria Mona Lisa. Sem entrar e me aprofundar na patologia gritante do fato, Mona Lisa não pode ser entendida e vista como uma obra menor do seu tempo. Mona Lisa demonstra a técnica apurada do gênio Leonardo da Vinci, o esfumato (esfumado), e principalmente a técnica da veladura, que nem o grande artista da cidade que foi homenageado em brasília parece dominar.

As veladuras são camadas finas e transparentes aplicadas sobre as áreas de cor para produzirem diversos efeitos, um deles é possibilitar uma passagem de cor ou tom perfeitos. Outro efeito é o de eliminar a necessidade do contorno, tornando a pintura mais fiel, mais próxima da realidade. Existem muitas obras sérias escritas sobre esse quadro de Da Vinci, não será qualquer livreto de fundo de biblioteca que dará a palavra final a respeito de uma das maiores obras de pintura de todos os tempos.


Este trecho foi extraido do seguinte blog:

"Leonardo desenvolveu uma nova maneira de pintar a partir de sua incessante busca pela representação perfeita e com o estudo da natureza e de seus fenômenos. Ele percebeu que não podíamos representar o mundo através de traços duros, porque eles não existem na vida real. Para ele, os contornos só serviam ao desenho, e diante dessas observações, criou o sfumato, palavra italiana que significa fumaça: o conceito é esfumaçar as cores, não utilizar linhas, fazendo a fusão das cores que se transformavam em formas diante dos olhos do espectador. Eram utilizadas várias camadas transparentes de cor, chamadas velaturas, até alcançar o efeito desejado. A forma deveria ser um pouco indefinida para que o observador procurasse defini-la com seus próprios olhos, o que atraía a curiosidade e criava a magia de sua pintura. Na Mona Lisa, essa técnica está presente, principalmente no rosto da dama. Os cantos de seus olhos e de seus lábios foram visivelmente trabalhados como fumaça.
 

O pintor foi, também, um estudioso das proporções humanas. Usava a perspectiva em muitas de suas obras, mas nem sempre seguia rigorosamente as regras. Leonardo passou a usar um tipo de perspectiva chamada aérea ou atmosférica que dava ao fundo uma ideia melhor de distância. Para isso, quanto mais longe estivesse o objeto, mais claras e imprecisas seriam as pinceladas que ele usaria para defini-lo.

Outra marca de Leonardo é deixar incompletas muitas de suas obras; a Mona Lisa demorou cerca de quatro anos para ficar pronta (1503 - 1506). A tela viajou com o pintor por muitas cidades, e permaneceu na corte francesa após sua morte."

Não conheço ninguém aqui da cidade, que esteja aqui ou em qualquer outro lugar (tipo Brasília...) que domine a técnica da veladura. São anos para se obter um efeito e quem tem pressa para atender uma encomenda nunca aprenderá....

Nenhum comentário:

Postar um comentário