sexta-feira, 26 de outubro de 2012

LUzes de um azul CIANO

Luzes de um céu,
luzes de esperança.
Luzes que espantam mosquitos,
luzes que nenhuma praga alcança.
Luzes que abrem as janelas.
Luzes que são só delas.
Luzes azuladas, azuis.
Como oceanos, ou azuis cianos.
Luzes que não...
Se apagam no ciume.
Luzes que produzem, 
luzes quietas.

Luzes que viajam
na sua própria velocidade.
Grandes e brilhantes luzes
de uma cidade pequena.
Luzes de toda cor serena.
Luzes quentes e frias, 
mas nunca cruéis...
Como os que fingem
pintar as luzes em um quadro.
Luzes de autoria, luz própria.
Luzes que não findam,
nem são estanques.
Luzes, luzes, luzes.
Luzes que estudam.
Luzes que são nossos estudantes.

















Luzes da Escola estadual Francisco Varella

Nenhum comentário:

Postar um comentário