quinta-feira, 29 de novembro de 2012

A merenda causa polêmica

Todos sabemos que é normal os professores comerem a merenda, inclusive eu mesmo ainda como. A questão não é se o professor não merece comer a merenda, merece comer a merenda e muito mais. O professor merece ganhar melhores salários e dar menos aulas. Mas a administração pública parte do princípio da Legalidade, logo, qualquer ação que não tenha amparo legal pode ser considerada improbidade administrativa.


Fiquei surpreso com o comentário de alguns companheiros de trabalho que se sentiram magoados com a expressão "aba da rapazeada", é apenas uma gíria carioca que nasceu no berço do samba (quem não gosta de samba...). Talvez você prefira o termo "ilegal"? O que cabe aqui é perceber como o corpo escolar se comporta, ele age individualmente, ele só se move quando algo interfere na sua rotina. Os companheiros de trabalho não querem saber se a escola apresentou denúncias infundadas contra algum amigo, ou companheiro de profissão. Ele também não se importa se alguém está plantando discórdia na Secretaria afirmando que tal companheiro, que provou estar apto na sua função através de concurso público e prova psicotécnica, tem equilíbrio emocional para tal função.
Um teste, se coloque na seguinte e "fictícia" situação: Um professor é acusado através de uma denúncia anônima e a mesma é apresentada ao MP como provável verdade pela sua escola. Bacana né, enquanto o colega está sendo prejudicado e tolhido de exercer uma nova função, o resto do corpo escolar não se move para protegê-lo. O que é isso amigo? 
Falta de atitude profissional. Não agimos pelo grupo e/ou em prol do grupo, estamos muito ocupados em resolver os nossos próprios problemas e eu garanto que a merenda é o menor dos problemas dentro de uma unidade escolar, pelo menos para o professor. Então, aceita uma sugestão? Que tal se todos se importassem com os outros? Que tal se a fofoca fosse banida do ambiente profissional? Que tal se todos pudéssemos ajudar e proteger o colega de trabalho dos problemas que surgem no dia a dia?
Não vou me alongar na matéria, pois todos sabem do que foi exposto acima. O que talvez a maioria ainda não percebeu e que estamos o tempo todo falando, fazendo o uso da palavra. E qual é a importância da palavra? 

Palavras liberadas têm o poder de influenciar

Deus deu ao homem autoridade nas suas palavras; autoridade essa que lhe permite abençoar ou amaldiçoar. Ao longo da bíblia, podemos ver o quão sério é isso, pois são várias as orientações feitas pelo Senhor quanto ao falar, visto que as palavras podem causar vida e morte. A palavra que sai da boca é uma forma do homem relacionar-se com o seu próximo, com o mundo espiritual e com Deus, sendo um meio de ordenar fenômenos e ideias, uma forma de comunicação e um meio de obter domínio ou exercer influência, na forma de benção ou maldição.

Se estiver interessado em ler mais, acesse o link abaixo:


Resumindo meus amigos e colegas de profissão, não sou contra os professores comerem a merenda escolar ou ter a sua própria merenda, como também não sou contra a luta por melhores salários, sou contra o nepotismo, contra a ilegalidade. Outra, o meu conceito de amigo e colega não inclui omissão de socorro ou ajuda, não inclui frases do tipo: "Isso é briga de família, não vou me meter". Que tal essa frase: "Esse cara veio de longe, sei lá, quem é que vai por a mão no fogo por ele? 

O meu conceito de amizade parece ser bem diferente do conceito que alguns colegas de profissão tem. Eu não posso estar de acordo com todo mundo, mas tenho a obrigação de estar de acordo com o que é certo. E o que seria isso? Ame o seu próximo como a si mesmo, ou de uma outra forma, não deseje ao outro o que você não gostaria que acontecesse com você.





Nenhum comentário:

Postar um comentário