quinta-feira, 15 de novembro de 2012

A Plástica das palavras

As vezes eu estranho a tendência de alguns profissionais da disciplina Língua Portuguesa não oferecerem uma experiência plástica com as letras, palavras, frases e textos. Talvez por estarem hermeticamente acostumados com a ideia de que a "Língua" não muda, não evolui. Ai, partem para territórios que não dominam, as Artes (tipo o teatro, música, desenho...). Um conselho de amigo: Procurem formação adequada para tal empreitada ou fiquem no seu quadrado! 


O resultado dessa tentativa de aula lúdica (na verdade um descanso para eles e os alunos) é formar uma imagem distorcida da disciplina Artes, que está inserida em códigos e linguagens, mas nem por isso aceitará ser sobrepujada pela disciplina Português, muito pelo contrário, tem sua graduação própria e profissionais preparados para essas aulas lúdicas.


Enquanto esse inferno queima as aulas de Artes, alguns professores de Educação Artística fazem o dever de casa dos "donos das palavras", o resultado é uma maior aproximação da língua, através da apropriação física das mesmas, retirando o verniz das palavras e transformando-as em veículo expressivo. Vamos ver isso:





Os trabalhos foram realizados pelos alunos do EJA, 8° e 9° anos respectivamente. Trabalhamos com duas letras, uma da Jovem Guarda, "Estrada de Santos", e outra, um clássico do chorinho, Carinhoso de Pixinguinha. Os alunos gostaram da atividade e do resultado. Parabéns, galera do EJA.

-------------------------------------------------------------

CARINHOSO - Pixinguinha

Meu coração, não sei por quê
Bate feliz quando te vê
E os meus olhos ficam sorrindo
E pelas ruas vão te seguindo,
Mas mesmo assim foges de mim.
Ah se tu soubesses
Como sou tão carinhoso
E o muito, muito que te quero.
E como é sincero o meu amor,
Eu sei que tu não fugirias mais de mim.
Vem, vem, vem, vem,
Vem sentir o calor dos lábios meus
À procura dos teus.
Vem matar essa paixão
Que me devora o coração
E só assim então serei feliz,
Bem feliz.
Ah se tu soubesses como sou tão carinhoso
E o muito, muito que te quero
E como é sincero o meu amor
Eu sei que tu não fugirias mais de mim
Vem, vem, vem, vem
Vem sentir o calor dos lábios meus a procura dos teus
Vem matar essa paixão que me devora o coração
E só assim então serei feliz
Bem feliz




Nenhum comentário:

Postar um comentário